Toffoli “salvou” Flávio Bolsonaro



Nesta terça-feira (16/07), o ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, acolheu pedido da defesa de Flávio Bolsonaro e interrompeu temporariamente as investigações em curso no país que tenham como base dados sigilosos compartilhados pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).
Toffoli basicamente decidiu que dados sigilosos sobre contas bancárias não podem ser divulgados por nenhum órgão que tenha acesso a essas informações. A decisão, contudo, ‘beneficia’ não apenas o senador, mas também outros investigados na operação Lava Jato.
Dado que o sigilo bancário é, de certa forma, "um direito", mas que divulgar essas informações pode ser algo decisivo em investigações policiais, o tema é controverso e suscita grandes discussões.

Fonte: mbl

Nota do Blog:

Repudiamos a velha política que está impregnada neste país. É uma vergonha o tanto de privilégios que é oferecido a classe política, são na verdade, intocáveis.
Se não deve, tem que ser investigado. E se deve, tem que ser preso e apodrecer na cadeia.

Comentários

Mensagens populares